Notícias

Infartada, gestante de 38 anos e bebê são salvas por equipe do Hospital São Francisco

21/03/2018

Equipe reverteu quadro raro, gravíssimo e com alta incidência de mortalidade. Mãe e bebê já se recuperam em casa. 

 

No último dia 25/02 a equipe da Emergência do Hospital São Francisco (HSF) foi surpreendida ao receber uma paciente com um quadro incomum, ainda pouco descrito na literatura médica. Gestante de 36 semanas e sem queixas anteriores de problemas cardíacos, a dona de casa Ana Maria D. F. dos Santos foi acometida por um extenso infarto do coração, quadro raríssimo em pacientes jovens e gestantes. "Paciente gestante com infarto do tronco da coronária esquerda com necessidade de revascularização cirúrgica é um fato rato", completa o hemodinamicista do HSF Wenderval Borges Carvalho Junior.

  

A queixa de dor no tórax foi investigada e diagnosticada como sendo um infarto agudo do miocárdio, apesar do quadro ser extremamente raro em pacientes com o perfil de Ana Maria. “Eu cheguei na emergência sentido muita dor. Fui prontamente acolhida e em pouco tempo já estava sendo avaliada pelo médico”, relata a dona de casa. Encaminhada ao Setor de Hemodinâmica do HSF, ela passou por um exame de cateterismo que constatou um grave comprometimento de uma artéria do coração. “O cateterismo mostrou que a paciente apresentava dissecção de uma importante artéria do coração. Com esse quadro, o próximo passo é a revascularização cirúrgica o quanto antes, procedimento raríssimo em gestantes”, afirma o cirurgião cardíaco do HSF Dr. Glauco Pina. 

 

O atendimento que recebi foi excelente. Todos foram muito cuidadosos e atenciosos. Isso é muito importante na recuperação de uma pessoa nessa situação tão difícil. Só tenho que agradecer a cada um. Me sinto muito satisfeita.


Ana Maria e a família já estão em casa.

 

 

O QUE É REVASCULARIZAÇÃO? 

Na revascularização do miocárdio o cirurgião utiliza uma ponte de artéria ou veia para desviar sangue da aorta para as artérias coronárias. Geralmente o procedimento é feito com o auxílio de um equipamento de circulação extracorpórea, que substitui as funções do coração e dos pulmões durante o procedimento. Em alguns casos, a revascularização é feita com o coração do paciente batendo e o pulmão funcionando.  

 

A cirurgia é indicada dada a gravidade do problema cardíaco diagnosticado no cateterismo. O paciente revascularizado permanece internado na Unidade de Terapia Intensiva no pós-operatório, podendo ter alta para o quarto de acordo a evolução clínica. A alta hospitalar pode ocorrer até cinco dias após a cirurgia podendo se estender dependendo do quadro do paciente. 

 

QUADRO GRAVÍSSIMO 

Os cirurgiões cardiovasculares do HSF Dr. Ricardo Corso e Dr. Helmgton Souza também participaram do atendimento de Ana Maria. Segundo o Corso, o quadro da paciente era extremamente grave  e com chances de vida para a mãe e o bebê muito pequenas. “Ela realmente suportou muitas adversidades. O quadro que a paciente apresentava ao chegar no Pronto Socorro era tão grave que a possibilidade de óbito era muito próxima de 100%. Entendida a situação, toda a equipe médica e de enfermagem agiu rapidamente para salvar mãe e bebê”, afirma o médico. Em quase 30 anos de cirurgia cardíaca, completa Corso, essa é apenas a segunda vez que me deparo com um quadro como esse.

 

A PEQUENA RAFAELA

Logo após o diagnóstico de infarto, iniciou-se uma corrida contra o tempo. O primeiro passo era submeter a paciente à uma cesariana urgentemente. Acionada, a equipe de Obstetrícia do HSF agiu rápido e com efetividade. “A equipe foi extremamente competente. Em cerca de um minuto o parto havia sido realizado. Essa precisão foi fundamental para preservar a saúde do recém-nascido”, disse Dr. Pina.

 

Segunda filha de Ana Maria e seu esposo, o supervisor administrativo Fábio Macário,  a pequena Rafaela, logo ao nascer, acompanhou de longe a recuperação de sua mãe, o que tornou o reencontro, no último dia 17/03, ainda mais especial. “Minha filha se chama Rafaela que, em hebraico, significa 'Deus curou'. Estar com ela e minha outra filha, Eduarda, meu esposo e toda minha família é uma sensação de segunda chance, é outra oportunidade para amar ao máximo”, afirma Ana Maria.

 

Felicidade e gratidão, primeiro a Deus, e depois a todos que cuidaram de mim para que eu pudesse hoje estar bem e em casa com minha família.

 

TÉCNICA NÃO HABITUAL 

Durante o procedimento, Ana Maria apresentou um extenso sangramento. Após verem fracassadas as técnicas indicadas para este tipo de intercorrência, Dr. Pina decidiu por aplicar uma técnica pouco habitual criada por ele, por meio da qual foi possível parar o sangramento. "Em situações de dissecção da aorta (neste caso como consequência da dissecção da coronária), o interior do vaso é ocupado por dois espaços por onde caminha o sangue, um verdadeiro que leva sangue a todos os órgãos e outro falso que além de não levar sangue a lugar nenhum, pode fechar os orifícios de onde saem os ramos verdadeiros. A técnica simples, porém, eficiente, descreve o cirurgião, consiste em envolver a aorta com uma fita e apertar até obter um diâmetro semelhante ao tamanho normal do vaso. “Esta manobra já é utilizada com objetivos diferentes na cirurgia cardíaca pediátrica. Com este propósito e em adultos, não conheço alguém que tenha descrito isso anteriormente", afirma.  

 

GRANDES CIRURGIAS 

A cirurgia realizada na dona de casa mostra que o Hospital São Francisco dispõe de estrutura física e técnica para a realização de procedimentos cardíacos complexos, resultado de investimentos realizados nos últimos anos na modernização da estrutura física e tecnológica e no aperfeiçoamento do corpo clínico do hospital. Nos últimos anos, afirma Pina, o HSF em vem construindo o cenário adequado para a realização de grandes procedimentos cirúrgicos, com equipamentos e a capacitação de profissionais de diferentes áreas, como medicina, enfermagem, fisioterapia e terapia ocupacional, dentre outros. 

 

EQUIPES ENVOLVIDAS 

A complexidade do caso levou à mobilização de diferentes equipes do HSF, entre elas Enfermagem, Pronto Socorro, Obstetrícia, Hemodinâmica, Cirurgia Cardíaca, Anestesia, Unidades de Terapia Intensiva Adulto e Neonatal, Pronto Socorro e Centro Cirúrgico.

Please reload

Em destaque

Ministério da Saúde: Brasil registra 78.162 casos de coronavírus e 5.466 mortes da doença

Secretaria de Saúde do DF: Sétimo dia de testagem em massa re...

NOTÍCIAS ATUALIZADAS SOBRE O CORONAVÍRUS

04/30/2020

1/5
Please reload

Últimas notícias
Please reload

Arquivo
Please reload

Busca por assunto
Please reload

HOSPITAL SÃO FRANCISCO  

 

+55 61 3378 9000

 

QNN 28 Módulo C Área Especial Ceilândia 

 

Brasília - DF  CEP: 72220-280

 

 

 

Atendimento emergencial 24h

© 2017 por Hospital São Francisco. Todos os diretos reservados.